Ameaças sem fronteiras: somos capazes de lidar com os desafios?

 

Em raras ocasiões da história recente tivemos tanta necessidade de tratar da segurança global. A atual conjuntura internacional evidencia como novas ameaças presentes no âmbito da segurança desconhecem barreiras geográficas. À luz do desenvolvimento das tensões geopolíticas na Europa, exacerbadas pela invasão Russa na Ucrânia em fevereiro de 2022, e da pandemia de Covid-19 ao longo dos últimos dois anos, fica clara a necessidade de uma maior mobilização da comunidade internacional em prol do multilateralismo e do enfrentamento conjunto para questões de segurança e defesa.

Com o aumento da instabilidade global frente à invasão militar da Rússia contra a Ucrânia, algumas ameaças devem ser tratadas conjuntamente do ponto de vista da segurança, de forma a garantir uma reação não apenas mais efetiva, mas que abarque também os impactos secundários de acontecimentos recentes. Questões como suficiência energética, segurança alimentar, segurança cibernética, e também efeitos da crise climática são diretamente impactadas por tal situação.

Existem inúmeros desafios que os países e organizações multilaterais precisam abordar: migração (ilegal), violência, deslocamento forçado, racismo contra refugiados, evacuações, disputas por fontes de energia, doenças, ataques cibernéticos e outros. Esses desafios são parte dos resultados dos desequilíbrios socioambientais, climáticos e tecnológicos. Eles intensificam a fome, amplificam as desigualdades no acesso a recursos básicos e à saúde, a perda de biodiversidade e a capacidade de proporcionar segurança e proteção.

Este ano, o tema do evento será “Ameaças sem fronteiras: somos capazes de lidar com os desafios?”, nos dias 30 de junho e 01 de julho de 2022. A conferência visa promover debates focados em possíveis soluções para a mitigação de problemas de segurança global, que ultrapassam os limites das fronteiras tradicionais, bem como estimular uma cooperação mais estreita entre a Europa e a América Latina ao longo das discussões em quatro painéis temáticos, intitulados:

– Mudanças climáticas e crise energética: os novos campos de batalha revisitados

– Meios de subsistência básica em jogo: segurança hídrica e alimentar

– Covid-19: um por todos e todos por um?

– Cooperação para a segurança tecnológica: inteligência artificial e guerra cibernética

Considerando não somente os impactos diretos causados por conflitos armados, é essencial um debate que aborde todas as possibilidades e riscos que estão em jogo no atual contexto da segurança internacional. É com esse objetivo que a Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana apresenta sua 19ª edição.